Finanças

Transferência por DOC ou TED em 2020, qual usar?

Redação Tecnograna

Spoiler: TED, claro!

Não há muitas razões lógicas em 2019 de se optar por DOC em uma transferência bancária para outro banco.E nós explicaremos isso neste artigo.


Dois tipos diferentes para a mesma coisa

Quando você entra no seu banco para fazer uma transferência para outra instituição, geralmente irá se deparar com duas opções: DOC ou TED. Qual a diferença?

O DOC (Documento de Ordem de Crédito) vai demorar bem mais para chegar na conta de destino. Apesar de você ter mais tempo para enviá-lo (até as 22h), ele só irá aparecer na outra conta no final do dia útil seguinte.

Já o TED (Transferência Eletrônica Disponível) é muito mais rápido. Você transfere e no máximo em 1 hora já está na outra conta, disponível para ser usado. Ele tem limitação de horário (você só pode fazer até as 17h de dias úteis), mas mesmo passando disso, você pode agendar para o dia seguinte e logo de manhã cedo, antes mesmo do banco abrir, o dinheiro já vai estar lá.

Então por que alguém preferiria fazer transferência por DOC? A única vantagem do DOC é que, por ser mais demorado e lento, há a possibilidade de você se arrepender minutos depois que efetivou a transferência, caso identifique algum erro. Mas geralmente você precisa falar com seu gerente para isso, pois não há nenhum botão de cancelamento no aplicativo do banco.

As tarifas entre as duas espécies de transferências são as mesmas, então não há porque você não optar pelo TED a próxima vez que for fazer alguma transferência. Alguns bancos deixará opção DOC selecionada por padrão, mas eles fazem isso para ficar mais tempo com o seu dinheiro. Tome cuidado com isso.

Compartilhe este artigo com seus amigos e familiares, para todos entenderem bem as diferenças e pararem de usar o DOC, que beneficia somente o banco e mais ninguém.

Sobre o autor

Redação Tecnograna

Redação Tecnograna

Trabalhamos diariamente para trazer a melhor informação para ajudar você a ter vantagens financeiras com aplicativos e ferramentas digitais.

Deixe um comentário